domingo, maio 15, 2011

Rótulos

Musicólatras...

Hoje vou tratar de um assunto que rende muito outros assuntos(rs). Pra explicar melhor, vou começar a história do começo!

Essa semana eu andei pensando muito nesse lance que muitas pessoas tem de rotular os estilos musicais. Eu por exemplo tenho uma banda de Blues e nós fomos rotulados de Acid Jazz/Blues, bom, nada contra o jazz (que é um estilo que eu me inspiro muito na hora de tocar) mas eu sou Bluesman, e com muito orgulho(rs). Enfim, isso me levou a pensar muito nos rótulos, e em algumas conversas com nosso amigo e Musicólatra Daniel (Argentino) Faria, conclui que os rótulos dificultam mais do que ajudam, o Jazz é um bom exemplo de subdivisões com o Swing, Acid, Cool, Fusion. O rock com seus pop/rock, hard rock, rap rock. O próprio blues com o swing blues, blues rock, pop blues, hard blues e o mais novo dos rótulos o Modern Blues.

Agora eu deixo a pergunta pros Musicólatras de plantão. O que vocês acham desses rótulos, eles ajudam ou atrapalham? Como vocês acham que deveria ser feita essa divisão de estilos?



4 Musicólatras Comentaram:

Emmanuella disse...

Eu acho que essa coisa de dar rótulo ficou meio inevitável, devido à todas as mudanças que um gênero vai adquirindo. Aì quando um gênero muda DEMAIS, os "puristas" dizem: "ah, mas isso não é rock (por exemplo)", e dá um outro nome, pra separar aquilo do que ele entende que o gênero seja.

Mas no fim das contas, pra quem é muito seletivo, acho que os rótulos ajudam. Eu mesma não ligo muito, se eu ouvir e gostar, tá valendo; mesmo porque, se eu disser que gosto de "industrial metal", por exemplo, isso engloba todas ou ao menos as mais importantes bandas do gênero, o que não é verdade, já que eu gosto de umas de não suporto outras.

Daniel disse...

Teberga

Essa história com o Blues On The Chair, realmente foi boa demais, fico imaginando a sua cara quando ouviu isso...rsrs.

Eu acho que certos "rótulos" são importantes, no sentido de subdividir um gênero mesmo, até para não englobar tudo como metal ou jazz por exemplo, dai é preciso ter o Heavy Metal, o Thrash Metal, o Death Metal e o mesmo acontece no jazz, com o Hardbop, o Bebop, o Fusion, o Cool, o New Orleans, etc.

No meu modo de ver, esses exemplos são como rótulos primários, vamos dizer assim.

O que acontece hoje é que tudo é motivo para rotular, e como cada banda procura ser diferenciada, acaba exagerando um pouco, dai aparece aquelas: Heavy Metal Progressivo Melódico ao quadrado elevado a potência de 10..rs.

Então acho que certos rótulos são necessários, alguns são exagerados, principalmente por que se um músico faz um "A" a mais, pronto, ele já cria um rótulo próprio apenas por isso.

Isso sem falar do pessoal que quer mostrar que sabe tudo e acaba soltando umas pérolas como classificar uma banda de blues como acid jazz.

Então na minha opinião os rótulos são importantes sim, porém sem exageros. Como disse a Manu, há também o caso das pessoas que procuram esmiuçar ao máximo um gênero, dai acaba criando rótulos desnecessários. No meu caso eu procuro me prender os rótulos principais e não dou muito atenção aos exageros.

Abraço
Daniel

Edison Junior disse...

Classificar e ordenar é quase que uma função biológica do ser humano. É inevitável que existam rótulos, faz-nos sentir mais seguros e com algum controle sobre a coisa toda. Porém, nem sempre os rótulos ficam bem, principalmente para eventos recentes. Os melhores rótulos são aqueles dados à luz da história.

Bom, nada disso que eu falei faz muito sentido. Sei lá, acho que são delírios da febre...

Damien Willis disse...

Sou parceiro e venho de um blog onde, digamos, 'entendemos de rótulos'. Hoje, provavelmente com uma mente mais madura, vejo que muitos são desnecessários e só geram um tipo de segmentação confusa fazendo da hierarquia, da época, das influências, e de outros fatores que formam a música, um jogo de quebra-cabeças, o que não pode ser considerado sempre errado, mas é demasiadamente desnecessário em um blog que tem por finalidade compartilhar música e passar algumas informações sobre as mesmas. Segmentação cairia bem em um blog de pesquisas, que apesar de vários posts, todos façam referência entre si.

Nós passamos por isso, na verdade já removemos muitas categorias. E também erramos bastante, rotulando bandas simplesmente por terem um dedo de jazz, normalmente na bateria ou baixo, chamando-nas de 'jazz-metal' e coisas do gênero, por exemplo.

Aqui, no Musicólatras, meu conselho é registrar somente os 'primários', como disse o amigo Daniel, e estar sempre atento. Caso contrário essa brincadeira poderá fugir do controle.

Enfim, não sei se ajuda, mas...

Abraço, Damien Willis