domingo, maio 22, 2011

JOHNNY WINTER


Por Ernesto Wenth Filho.

Olá pessoal!

Você já imaginou como seria a sua vida se tivesse nascido vesgo e albino?

Pois é, John Dawson Winter III, mais conhecido como Johnny Winter nasceu assim, vesgo e albino, em 23 de fevereiro de 1944, em Beaumont, Texas, EUA. Trilhando sua vida na música, no Rock e no Blues, hoje é considerado uma das lendas “vivas” da guitarra!

Johnny Winter nasceu numa região e num momento de intensa segregação racial nos EUA, mas ele lembra que nunca deixou de se “aventurar” nos bairros “negros” para ouvir música, para ouvir o Blues! Na verdade, ele acredita que o povo da comunidade negra sabia que ele era um cara sincero e que estava “possuído” pelo Blues! Nas palavras do próprio Johnny: “...nada acontecia comigo, eu ia a clubes de negros o tempo todo e ninguém me incomodava, eu era sempre bem vindo.”

Bem, Johnny começou na música tocando clarinete, com 05 anos de idade, sob influência de seu pai, mais tarde trocou de instrumento tocando “ukelele” (uma espécie de cavaquinho) e em seguida partiu para a guitarra.

Com 14 para 15 anos, junto com seu irmão mais novo Edgar, montou sua primeira banda a “Johnny and The Jammers”, chegando a ganhar um concurso regional de música e aparecer na televisão local.

Em 1962, Johnny e seu irmão foram ao bar The Raven, em Beaumont, para assistir ao “bluesman” B.B. King. Eles eram os únicos brancos na platéia e Johnny lembra: “... eu tinha tinha 17 anos e queria tocar com o B.B. King, mas ele não deixou que eu subisse no palco no começo e como muita gente já me conhecia pedi que as pessoas fossem falar com ele para pedir que eu tocasse. Finalmente ele viu que muitos queriam me ouvir e me chamou para o palco, oferecendo sua guitarra. Toquei tudo que pude e o público “delirou”! Aí o B.B. King pediu sua guitarra de volta! Foi demais!!”

Nesta época Johnny já estava ficando “famoso” na região e suas apresentações eram com a banda de seu irmão Edgar a “Black Plague” e com sua própria banda que se chamava “The Crystaliers”.
Em 1968 a revista Rolling Stone dizia que Johnny Winter era o que havia de mais “quente” no Texas, depois de Janis Joplin! O artigo se referia ao álbum “The Progressive Blues Experiment”, gravado com Tommy Shannon no baixo e Uncle Joe Turner na bateria.

Mas foi em 1969, assinando um contrato com a Columbia Records, que Johnny lançou o disco “Johnny Winter” anunciando que havia um novo guitarrista de “slide” na cena musical americana! O disco tinha “covers” de B.B. King (“Be Careful With a Fool”), Sonny Boy Williamson II (“Good Morning Little School Girl”), Robert Johnson (“When You Got a Good Friend”) e do amigo Lightnin’ Hopkins (“Back Door Friend”). O álbum atingiu a posição de nº 24 na Billboard!

Na sequência uma série de discos de sucesso foram lançados, entre eles: “Second Winter” (1969), “And” (1970), “Still Alive and Well” (1973), “ John Dawson Winter III” (1974), “Dervish Blues” (1975), “Captured Live” (1976) e “Nothing But The Blues” (1977) onde, neste último, Johnny inicia a parceria com Muddy Waters e sua banda. Foi nesta época que Muddy Waters “retomou” o sucesso junto com Johnny Winter, onde ganharam o Grammy com o álbum “Hard Again” de Muddy Waters, em 1977. Também foram indicados ao Grammy os álbuns “I’m Ready” (1978), “Muddy Mississipi Waters Live” (1979) e “King Bee” (1981). A parceria entre eles teve tanto sucesso que Muddy Waters dizia que Johnny Winter era seu filho adotivo!

Em 1984, com 40 anos de idade, Johnny lança seu 1º disco com a gravadora Alligator Records, especializada em artistas de Blues, sendo também este disco indicado ao Grammy.
Em 1988, pela MCA, é lançado “The Winter of ‘88” onde Johnny faz um Blues mais contemporâneo e é indicado para fazer parte do “Hall da Fama” da Blues Fundation!

Em 1991, Johnny volta ao Blues de raízes com o disco “Let Me In”, estreando pela gravadora Pointblank. O álbum trazia as participações especiais de Dr. John e Albert Collins.

Ainda pela Pointblank saiu em 1992 o disco “Hey Where’s Your Brother?” que foi indicado ao Grammy e em 1998 o disco “Live in New York City ‘97”, gravado no New York’s Bottom Line, em abril de 1997, onde o repertório foi escolhido por membros do fã clube de Johnny Winter pelo mundo. Na verdade, foi um ato de gratidão de Johnny com seus fãs!

Em 2004, pela Virgin Records, saiu seu último disco “I’m a Bluesman”, produzido por Dick Shurman que já trabalhou com Roy Buchanan, Albert Collins e Robert Cray. Este álbum iniciou uma turnê mundial que incluía o Brasil, com apresentações no Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre, mas infelizmente por problemas de saúde os shows foram cancelados.

Bem, quem sabe, ainda em breve, possamos assistir ao vivo a este mestre da guitarra, que ama o Blues e o Rock & Roll, e que é uma figura única: loiro, “branquelo”, vesgo, albino e cheio de “tatoos”, mas que tem, sem sombra de dúvida, a alma de um “negro blueseiro”!

SALVE JOHNNY WINTER!





2 Musicólatras Comentaram:

Edison Junior disse...

Ótimo post! Grande Blues!

Daniel disse...

A primeira vez que eu ouvi falar do Johnny Winter foi quando ele foi no Programa do Jô. Confesso que não é um estilo de blues que eu curto. Também não conhecia a história dele, que por sinal achei sensacional.