terça-feira, janeiro 11, 2011

Wolfmother: Resgatando o Rock Clássico dos Anos 70 !

Olá Musicólatras de Plantão !

Tudo indicava que o primeiro post de 2011 seria novamente sobre o B.B.King, até por que falta concluir a matéria da revista Guitar Player. Mas hoje foi um dia onde tudo deu errado, um imprevisto atrás do outro, conclusão, não consegui sequer copiar a matéria para o computador. E na próxima semana dou sequencia na matéria.

Então para não passar em branco, vou postar a resenha de um álbum que não sai da minha playlist. Para quem curte o rock clássico dos anos 70, vai se amarrar no som dos caras, para quem não curte, aí está à oportunidade.


O Wolfmother surgiu em 2000, em Sydney, a banda está entre as grandes novidades dos últimos anos no cenário do rock. Um dos grandes trunfos do Wolfmother está na sua sonoridade, conseguem fazer um som diferenciado e sem cair na mesmice e no modismo.

Wolfmother tem como base o hard rock clássico, aliado com elementos de rock psicodélico e um toque de folk. A fonte de inspiração é o som da década de 70, mais precisamente das bandas Led Zeppelin, Deep Purple e Black Sabbath. O detalhe é que não consiste em cópia, os caras do Wolfmother usam essas influências para tornar o som da banda diferenciado. Com três álbuns no currículo, lançou o primeiro EP em 2004 e de lá pra cá vem conquistando cada vez mais a crítica especializada e o público. Um dos feitos mais extraordinários da banda foi à conquista do Grammy em 2007 com a canção “Woman”, na categoria de Melhor Desempenho de Hard Rock.


“Wolfmother” (2006) é o primeiro álbum da banda australiana. A sensação ao ouvir esse álbum é que você voltou no tempo e está em 1970. O vocalista e guitarrista Andrew Stockdale - comparado muitas vezes com o Ozzy Osbourne - manda muito bem, lembrando e muito os vocalistas antigos, principalmente pelo timbre mais agudo. Chris Ross traz de volta o baixista-tecladista, que ficou tão marcado nos anos 60 com John Paul Jones (Led Zeppelin) e o baterista Myles Heskett, que apesar de não fazer coisas mirabolantes, merece destaque por sua técnica, pegada e condução.

Em relação às músicas, não tem como se decepcionar com o Wolfmother, a banda usa e abusa dos riffs, mescla muito bem o peso do hard rock, com uma sonoridade mais melódica e toques psicódelicos. “Woman” é uma das músicas mais conhecidas da banda, inclusive foi tema de vários games. É uma música pesada, hard rock setentista, riffs e solos estonteantes. “White Unicorn” apesar de ter uma pegada, soa melancólica, uma excelente composição da banda. “Pyramid” tem uma intro genial, destaque para as guitarras distorcidas e vocais rasgados. “Mind´s Eyes” é linda e sentimental, com um som bem leve, pode ser considerada a balada do álbum. “Joker & The Thief” é paulera do inicio ao fim, riffs hipnóticos, vocal agudo e rasgado, uma das melhores músicas do álbum. “Colossal” tem como referência o som do Black Sabbath, a música é marcada pela base pesada e cadenciada, incrível. “Dimension” merece destaque também, outra música que lembra o som do Black Sabbath, além dos riffs, o vocal, acho interessante o som da bateria, aquele som digamos “abafado” e que faz lembrar as gravações dos anos 60 e 70.

Sobre o álbum “Wolfmother”, uma curiosidade em relação à capa. A arte foi tirada do quadro de Frank Frazetta “The Sea Witch” (A Bruxa do Oceâno).

Impossível ouvir e não curtir o som do Wolfmother. Uma das melhores bandas de hard rock dos últimos 10 anos e que faz um trabalho digno de aplauso. Wolfmother é uma prova que para fazer rock de verdade é necessário ir contra o modismo. Apesar das comparações, não há como negar a originalidade dos caras.

Nota: 9

Site Oficial: Wolfmother

Wolfmother "Woman"


Wolfmother "Dimension"


Wolfmother "Joker and the Thief"



5 Musicólatras Comentaram:

Edison Junior disse...

Legal, ainda não tinha ouvido.

Anônimo disse...

Deixo tambem a dica para ouvirem o segundo album deles "cosmic egg". Na minha opinião é tão foda quanto o primeiro!

Steinhaeger

Daniel disse...

"Cosmic Egg" é bom demais mesmo.

Marcello disse...

Oi Daniel,
ótima dica.
Parabéns

Fred disse...

"Dimension" e outras com baixo-bateria desembestados lembram muito o Grand Funk também! Banda muito boa!