sexta-feira, janeiro 28, 2011

Kurt Weill


Essa semana o Daniel Argentino colocou no seu Jazz & Rock um post sobre a cantora Harcsa Verônica, ótima por sinal, e uma das músicas que ela canta no álbum analisado por ele é Speak Low, de Kurt Weill. Pego então esse gancho para falar do alemão. Nascido em 1900, ele morreu nos EUA em 1950, onde passou os últimos anos de sua vida. Compunha música para o teatro e ficou mundialmente conhecido pela parceria com Bertold Brecht, n’A Ópera dos Três Vinténs.

Pelo menos duas de suas músicas tornaram-se temas clássicos do jazz. Uma delas é a mencionada Speak Low, da peça “Um toque de Vênus”, que já foi gravada entre outros por Sarah Vaughan, Bill Evans, Marisa Monte e Billie Holiday, que você pode curtir no vídeo abaixo.



Ouça agora a ótima versão de Harcsa Verônica para a mesma música, com um arranjo completamente diferente:



A outra música é Mack The Knife, ou The Ballad of Mack The Knife (no original em alemão, Die Moritat von Mackie Messer), da já citada Ópera dos Três Vinténs. Pela sua estrutura e balanço, sempre foi um prato cheio e sucesso garantido para Louis Armstrong, Ella Fitzgerald, Bob Darin, Michael Buble e outros.



Certamente você já tinha ouvido Mack The Knife em algum lugar. Veja agora a versão genial que Chico Buarque fez dela para sua Ópera do Malandro, peça de teatro que acabou virando filme, e que por sinal inspira-se na Ópera dos Três Vinténs. Claro, Chico não se limitou a traduzir a letra e fez mais uma de suas fantásticas críticas, usando a cachaça como fio condutor.



É isso. Bom final de semana, caros Musicólatras, curtindo o som desse fantástico compositor que é Kurt Weill!



1 Musicólatras Comentaram:

Daniel disse...

Uma das coisas que eu mais curto no jazz é isso, está tudo interligado, isso além de genial, facilita e muito novas descobertas.

Sobre música "Speak Low", entre as versões da Billie Holiday e Harcsa, fico com a da Harcsa. As outras eu vou procurar para ouvir.

Também não conhecia a música "Mack The Knife", curti, ainda mais na voz da Ella Fitzgerald, que dispensa comentários.

Abraço
Daniel