quinta-feira, janeiro 13, 2011

Fado



Olá,

Hoje eu falo sobre um gênero que representa toda uma nação, uma unanimidade na Europa, o fado é português e todo português é um fadista.

A palavra fado vem do latim, fatum que significa destino, a origem da música remete aos mouros (assim como o flamenco na Espanha deve muito aos árabes) com seus cânticos principalmente no bairro da Mouraria (uma conhecida música do Madredeus fala sobre o bairro) onde moravam após a reconquista cristã.

Outra teoria ao meu modo de ver mais documentada, é que o fado teve origem de uma mistura de culturas existentes em Portugal nos séc. 18 e 19.

Amália Rodrigues

O fado era música de portos cantados pelos marinheiros e é esse a raiz de todos os outros fados, à partir da metade do século 20, os fadistas começam a sair do anonimato e das vielas para cantarem nos cinemas, teatros e rádios, e com isso surge as casas de fado, profissionalizando o cantor onde só era permitido cantar um repertório devidamente aprovado por uma comissão pré-estabelecida.

O fado moderno teve sua grande estrela com Amália Rodrigues, (assim como Edith Piaf está para a música francesa) foi ela quem popularizou as músicas versadas por grandes poetas portugueses como David Mourão-Ferreira, Luís de Camões e foi seguida por uma enorme lista de outras fadistas que posso destacar Beatriz da Conceição e Maria da Fé.

Um cantor de fado conhecido é João Braga, que cantou músicas com letras de Fernando Pessoa.

O fado moderno é acompanhado de um grande número de instrumentos, como a sonoridade que MadreDeus fez em seus primeiros álbuns.

MadreDeus
Entre outros fadistas contemporâneos posso destacar o trabalho de Mísia nos anos 80-90, Mariza e Cristina Branco, de Pedro Caldeira Cabral.

Se forem à Portugal não deixem de visitar o bairro de Alfama ou Mouraria com suas casas de fado.

Mísia - Triste Sina



Mariza - Gente da Minha Terra



Amália Rodrigues - Estranho forma de Vida




Mariza



Mísia

Pesquisa: Marcello Lopes
Fotos: Google



1 Musicólatras Comentaram:

Edison Junior disse...

Que belíssimo post, ó pá!