terça-feira, outubro 26, 2010

Entrevista Exclusiva: Eduardo Machado

Por Daniel Faria

Conheci o som do contrabaixista Eduardo Machado através da internet. Na época ouvi algumas músicas do seu primeiro e recém-lançado álbum solo, e não demorou muito para ficar impressionado pela qualidade da produção, das composições, dos arranjos e do Eduardo como contrabaixista. Um trabalho primoroso, com participações de peso e que resultou em um dos melhores álbuns de música instrumental lançados em 2009.

E no mês passado entrei em contato com o Eduardo e falei da ideia de fazer uma entrevista com ele. E aqui está o resultado final, uma entrevista que traz muita informação sobre a carreira, projetos e muito mais. Aproveito para deixar mais uma vez o meu agradecimento ao Eduardo, por conceder essa entrevista. Segue abaixo a entrevista na integra. Boa Leitura !


Eduardo, conte-nos como foi o seu inicio na música? Como teve o seu primeiro contato com o contrabaixo?

Eduardo Machado: Bom, na verdade desde criança sempre gostei de música, e tive o incentivo do meu pai pra tocar contrabaixo, eu não conhecia o instrumento, ele me deu um baixo e me matriculou em uma escola de música daí que comecei a estudar, isso eu tinha 12 anos.

Quais são as suas influências musicais?

Eduardo Machado: Sempre escutei muita música, MPB, Rock, Reggae, Jazz, etc.... tenho muita influência dos principais mestres desses estilos como Tom Jobim, Gilberto Gil, Djavan, Hermeto Pascoal, Deep Purple, Rush, Led, Jimi Hendrix, Bob Marley, Charlie Parker, Herbie Hancock, Miles Davis e claro dos baixista como Jaco Pastorius, Marcus Miller, Gary Willis, Arthur Maia, Luizão Maia, Sizão Machado, Adriano Giffoni.

Você é professor no IGB (Instituto de Guitarra e Baixo), como surgiu essa oportunidade?

Eduardo Machado: Comecei a lecionar aulas de música com 17 anos na minha casa, depois de um tempo senti a necessidade de fazer algo mais profissional, e junto com um amigo meu (Fabiano “Coelho”) decidimos criar uma escola de música com um diferencial “Qualidade no Ensino Musical” com professores capacitados especializados em cada instrumento, que até então não existia na cidade (Franca SP) www.escolaigb.com .

O que você costuma ouvir no seu dia-a-dia?

Eduardo Machado: Além do que já citei, escuto muito Hamilton de Holanda, Curupira, Gabriel Grossi, Elis Regina, Ed Motta, Steve Wonder, Head Hunters, Weather Report, RATM, Glenn Hughes, Primus, Raul Seixas, dentre outros.

Como foi o processo de gravação do seu álbum? Como surgiu a ideia de grava-lo?

Eduardo Machado: Achei que já estava na hora, com 23 anos de carreira sempre tive esse sonho de gravar um CD solo onde todas as composições e arranjos fossem de minha autoria, e isso consegui realizar nesse primeiro trabalho. Foram 10 meses o processo de gravação, produção e mixagem. Demorou um pouco porque algumas vezes eu dependia da agenda de alguns músicos como o Arthur Maia, Chico Oliveira e o Gabriel Grossi, eles viajam muito e não é fácil encontrar uma brecha em suas agendas.


Você teve algum tipo de apoio para a gravação e distribuição do seu trabalho?

Eduardo Machado: Na gravação tive um apoio importantíssimo que foi do estúdio Inside Áudio & Mídia e claro de todos os músicos que participaram do CD. Sobre a distribuição esse CD foi lançado independente e como hoje em dia estão acabando as lojas de CD, vendo mais pela internet e shows.

Você é endorser de alguma marca?

Eduardo Machado: Uso cordas Groove.

Qual foi o seu primeiro contrabaixo ?

Eduardo Machado: (Risos)..foi um baixo bem tosco.... Insbruck (já ouviu falar nessa marca?).

E como tem sido a aceitação do publico e da mídia especializada?

Eduardo Machado: Graças Deus tem sido muito boa, veja essa resenha que sintetiza o feedback que recebi sobre o CD. Clique Aqui

Você também gravou um DVD recentemente, no Teatro Municipal de Franca e teve a participação do baixista Arthur Maia, conte um pouco dessa sua amizade? Como você o conheceu?

Eduardo Machado: Conheço o Arthur desde 94, sempre tive ele como um referência pra mim, além de ser um dos maiores baixistas do mundo, ele é muito gente boa, ele fez uma participação especial no CD na faixa “Partindo pro Alto” tocando e cantando onde fez um solo maravilhoso, então o convidei para fazermos esse show e claro que eu não poderia deixar de registrar isso em um DVD, apesar de ter sido meio “caseiro” ficou com uma qualidade boa de video e som. Clique Aqui p/ ler a resenha do DVD.

Todas as músicas do seu álbum são composições próprias. Na hora de compor a inspiração surge naturalmente ou existe algum ritual, como por exemplo, compor só de madrugada?

Eduardo Machado: Quando comecei a gravar o CD eu só tinha 4 músicas prontas, e fui compondo o resto durante as gravações, as vezes uso o violão pra compor mais na maioria foi no baixo mesmo, e muita coisa vai saindo naturalmente durante os estudos, o que acho legal já escrevo pra não esquecer, fiz uma pré produção de algumas músicas antes de gravar definitivamente e outras músicas eu já estava tocando com minha banda e tive a chance de fazer algumas experiências com elas ao vivo.

Qual seu equipamento de estúdio e de palco?

Eduardo Machado: Como gravei com calma tive tempo de fazer alguns testes durante as gravações, usei um amplificador e uma caixa Ampeg de 8X10 mais um pré Avalon, em shows uso um amplificador e uma caixa Ampeg de 4X10, sem efeitos. Os baixos que uso são um Fender Jazz Bass 71, um Sadowski (4 cordas), um fretless Ibanez (modelo Gary Willis 5 cordas) e um Alembic (Epic de 5 cordas).


Como você vê o cenário da música instrumental e do jazz no Brasil atualmente?

Eduardo Machado: Fervendo!!! Embora seja um tipo de música que tem pouco espaço na grande mídia, tem vários festivais de jazz acontecendo por todo Brasil, existem rádios com programas de música instrumental brasileira e tem muita gente boa fazendo música de ótima qualidade. O que não dá é ficar de braços cruzados esperando e reclamando, tem que correr atrás, se não tem espaço , faça acontecer porque público tem.

Qual a importância da internet e principalmente da blogosfera para o seu trabalho?

Eduardo Machado: Isso é grande ferramenta para ser usada. Devo muito da divulgação do meu trabalho a alguns blogs. Logo que lancei o CD já disponibilizei pra download em alguns blogs e isso ajudou e muito esparramar minha música pelo mundo. Ano passado no final de um show em São Paulo veio uma pessoa comprar o CD e ela me disse que morava em Garanhuns já conhecia e tinha baixado, mais como assistiu o show quis comprar o original.

E quais são os seus projetos para o futuro? Já pensa em gravar outro álbum?

Eduardo Machado: Já estava pensando no próximo antes de acabar o primeiro (risos).Estou selecionando o repertório e quero fazer algo diferente inclusive colocar músicas de outros compositores. Falei com o Arthur esses dias e ele prometeu me ajudar na produção do próximo, e devo gravar algumas coisas no seu estúdio em Niterói.

Nas últimas entrevistas, inauguramos uma nova coluna no BLOG. É uma cópia descarada de uma coluna da Cover Guitarra. Indo direto ao ponto:

Pra você qual é o melhor álbum da história?

Eduardo Machado: Primeiro álbum do Jaco Pastorius, aquilo é a maior aula de contrabaixo que existe!

Qual disco você tem ouvido bastante na última semana?

Eduardo Machado: O último CD do grande baixista Brian Bromberg - Plays Jimi Hendrix (2010). É muito legal!

Qual disco você curte, mas tem vergonha de admitir?

Eduardo Machado: (Risos)... putz... agora você pegou pesado....(Risos).
Na verdade não tenho vergonha, mais às vezes dependendo da situação gosto de escutar Milionário e José Rico... tenho todos..rsrsrs... eles tiveram uma fase do “sertão progressivo” que é bem legal.... vc já assistiu o filme deles? Lembra Hermes e Renato.... é demais.

Eduardo quero agradecer a oportunidade da entrevista , sem dúvida uma chance de conhecer o seu trabalho e um pouco da sua história e trajetória musical. Desejo muito sucesso para você ! Grande Abraço !

Site Oficial: Eduardo Machado



4 Musicólatras Comentaram:

Edison Junior disse...

Muito legal, Daniel! Já havia conhecido o som dele pelo Jazz & Rock, curti muito a entrevista.

Jão disse...

Curti saber que tem baixistas de alto nivel por ai que curtem bastante Glenn Hughes!

Anônimo disse...

Adoro música instrumental e o Eduardo Machado é simplismente sensacional. A música Partindo pro Alto é uma maravilha e ouço quase todos os dias. Tenho um filho de 5 anos e ele também edora. Aqui em minha cidade (Remanso/BA)temos uma rádio comunitária e a abertura de um dos programas mais populares tem a abertura com o som de Eduardo e todo mundo gosta. Estamos popularizando a música instrumental. Principalmente os baixistas. Pra mim, os mais criativos.
Parabéns pelo blog
Auricéio Gonçalves
Remanso?BA

Daniel disse...

Que sensacional isso Auricéio. Nos ultimos anos musica instrumental no Brasil vem ganhando cada vez mais espaço e iniciativas como a da rádio são excelentes, esse o caminho, nós que curtimos musica instrumental fazemos parte desse meio de divulgação.

Abraço