sexta-feira, setembro 03, 2010

Brincando com o tempo

Dave Brubeck - Time Out

“Se um marciano viesse à Terra para avaliar a música americana, talvez ouvisse uns 10.000 discos de jazz e chegaria à conclusão que aqui só se toca em 4/4.”

Assim começa o texto da capa do álbum Time Out, do Dave Brubeck Quartet, lançado em 1959. Nele, Brubeck (piano), Paul Desmond (sax), Eugene Wright (baixo) e Joe Morello (bateria), fazem uma verdadeira brincadeira com o tempo nas músicas, fugindo do tradicional 4/4.

A mais famosa música desse álbum é a hoje clássica Take Five, tocada em 5/4, mas eles também se aventuram pelo 9/8, 3/4, 6/4 e até mudam de tempo no meio da música. Um verdadeiro desafio a quem gosta de acompanhar a música batucando com o pé ou a mão.

Divirtam-se com alguns exemplos:

1) Blue Rondo a la Turk (9/8)

2) Take Five (5/4)

3) Kathy’s Waltz (4/4 e 3/4)


Dave Brubeck - Time Further OutNão contente com isso, em 1961, Brubeck e seu quarteto lançam Time Further Out, radicalizando ainda mais a experiência.

Para isso, eles usam como mapa o quadro de Miró (Painting: 1925) que está na capa do disco e que, segundo Brubeck, tanto pode ser lido pelos números a parte superior do quadro – que seria a leitura mais óbvia – quanto pelas figuras que representariam o quarteto em movimento.

Pessoalmente, tenho um apego maior por esse segundo álbum, pois foi através dele que comecei a perceber que as músicas podem ser tocadas de maneiras diferentes das usuais, sem se tornarem chatas e mantendo o swing e a melodia.

Essas são as minhas favoritas:

1) Bluette (3/4)

2) Charles Matthew Hallelujah (4/4)

3) Far More Blue (5/4)

4) Maori Blues (6/4)

5) Unsquare dance (7/4) – notem a risada de alívio do baterista Joe Morello quando termina a música


Muitos anos depois, Brubeck contou que o quadro de Miró era na verdade para ser a capa do Time Out, mas não havia tempo de cuidar da parte legal de utilizar a imagem. Para o Time Further Out, ele foi pessoalmente procurar o artista, morrendo de medo que ele recusasse ou cobrasse muito caro, mas a resposta foi: “Seria uma honra para mim”.

Bom, por hoje é só, um final de semana e um feriado supre musical para vocês!



1 Musicólatras Comentaram:

Daniel disse...

Confesso que conheço muito pouco da carreira do Dave Brubeck. Já conhecia os dois álbuns, mas nunca parei para ouvi-los como deveria. E depois de ler essa postagem, fui ouvir e fiquei admirado pelo som do quarteto do Dave.

Obrigado pela dica, Edison.

Abraço