domingo, agosto 15, 2010

Musico Amador?

Olá Musicólatras...

Recebi esse texto hoje por e-mail, e me senti na obrigação de postar! É um texto muito bom, espero que gostem como eu gostei. Infelizmente não sei o autor. Boa leitura.



Festa social, todo mundo com copo de whisky na mão. Dois sujeitos conversam:

- Olá, tudo bem?
- Sim, e vc, como vai?
- Vou bem. Me disseram que vc é músico?
- Sim.
- Nossa, e que instrumento vc toca?
- Toco Corn Inglês.
- E toca em quais orquestras?
- Na OSESP e na OSB.
- Que beleza, hein? Deve ser cansativo, nao?
- É o trabalho, ne?
- Realmente, admiro vcs músicos, grande profissão essa. Até queria que meu filho fizesse música, mas o garoto nao tem jeito, insiste que quer ser médico ou advogado.
- Ah, hoje em dia é assim, a garotada nao tem jeito. Mas, e vc, o que faz da vida?
- Eu sou médico.
- Jura? Mas como assim?
- Trabalho no Hospital das Clínicas.
- Clínicas, não conheço. E faz o que lá?
- Sou cardiologista.
- Mas vc tem um emprego não tem?
- Então, trabalho no hospital.
- Nas horas vagas?
- Não. Esse é o meu emprego.
- Mas ganha pra isso?
- Ganho sim, dá pra viver.
- E vc não estudou? Não quis saber de faculdade?
- Estudei, fiz faculdade de medicina.
- Ah, é? Não sabia que tinha. Que interessante. Sabe, eu fui médico amador quando era jovem, uma vez fiz até uma operação num rapaz que tinha sido atropelado. Usei uma flanela de carro pra estancar o sangue e uma faca pra abrir a barriga do rapaz e parar a hemorragia. Eu até gostava, mas nao levava muito jeito pra coisa. E aí minha mãe até disse: "Larga disso, garoto, vai estudar música".
- É, queria ter tido uma mãe assim.

ps: Pois é, ninguém é médico amador, engenheiro amador, advogado amador. MAS TODO MUNDO É MÚSICO AMADOR!!!!!!



7 Musicólatras Comentaram:

Rodrigo Nogueira disse...

É Thiago, o sentido do texto é uma inversão de papéis. Muitas pessoas ainda hoje não consideram a música como profissão e o músico é muitas vezes taxado como vagabundo. O músico profissional, independente de ter estudado ou não é visto por muitos como um cara que não teve oportunidade de ter "uma profissão de verdade". Há quem diga até que músico não deveria receber salário por não estar trabalhando, apenas se divertindo, como se tocar em bailão por 6 horas direto e um repertório muitas vezes horrível (que serve para agradar a massa ignorante) seja divertido.

Abç!

Edison Junior disse...

Bom, eu sou engenheiro e no meu dia a dia eu cruzo com muitos engenheiros amadores. Parece brincadeira, mas não é.

Agora, é muito mais provável ver um grupo de músicos se reunir para tocar apenas por diversão do que um grupo de engenheiros se reunir para calcular uma estrutura só para matar o tempo depois do expediente. Provavelmente eles vão ler, ir ao cinema ou, quem sabe, arranhar algum instrumento amadoristicamente.

Mas eu concordo com o sentido do texto, ser músico ou musicista é uma profissão muito séria e nem sempre valorizada como se deve.

Jefferson disse...

realmente um grande texto. Sou um guitarrista autodidata, e todos que eu conheço acham que isso é só para diversão...
Mas também é bem verdade que hoje em dia viver de música é meio difícil, talvez por isso é necessário ter uma outra profissão para garantir o pão de cada dia. (Talvez seja por isso que eu estou fazendo informática...)

figurinhasdorock.blogspot

abraço

Edison Junior disse...

Completando meu comentário acima, se tomarmos a expressão "amador" em seu sentido original, ela representa algo que é feito por amor em oposição a um sentido profissional. O que não quer dizer que um profissional de qualquer área não possa amar o que faz, claro.

Nesse sentido, ser músico amador não tem nada de depreciativo ou desonroso. Pode ser alguém, como o Jefferson, que é músico, porém tira seu sustento de outra atividade. Alguém como Woody Allen, Luis Fernando Veríssimo, Jô Soares e tantos outros que a gente nem desconfia.

Thiago disse...

Na opinião, a grande questão é que muita gente que assim como eu tem formação em musica (eu sou formado em musica) e pra muita gente isso não tem valor...Algumas pessoas acham que estudar musica é perda de tempo e fazer uma faculdade então!!! Ao meu ponto de vista esse texto fala sobre isso, não do amadorismo em si...mas da pouca (ou quase nenhuma) valorização do estudo musical.

Daniel disse...

Muito bom o texto e retrata uma triste realidade.

A música tem uma coisa, que as outras profissões as vezes não tem. É o seu lado hobby. O cara pode ser advogado e tocar por hobby, nada o impede disso. Diferentemente ter uma profissão e ser advogado por hobby..rs.

Porém a música tem o seu lado sério, são pessoas que escolhe a música como profissão e se dedicam, estudam, gastam dinheiro se aperfeiçoando, assim como gasta um bom advogado.

Então acho que o músico profissional deveria ser levado mais a sério, principalmente aquele que não está na mídia, pq quando o cara está na TV/Radio ele é tratado como profissional e aquele que tira o sustento tocando em barzinho ou de outra forma, muitas vezes não é tratado assim.

Viver de música aqui é uma batalha e muitas vezes o dinheiro que você investe, nem sempre é recuperado. Talvez uma saída é o músico se aperfeiçoar como um produtor musical ou trampar em estúdio. Mas isso vai muito do cara também.

Isso sem falar daquele músico que curte rock'n'roll mas toca sertanejo para sobreviver..rsrs. Coisas da vida.

Abraço

Cátia Alves FC disse...

fazer música é dificil, mas a pior parte para um artista amador é a divulgação:c
vou deixar o link do blog que eu sou adm, gostaria que vcs visitassem, é importante, sou fã dessa garota, e ela tem muito talento. http://www.fccatiaalves.blogspot.com.br