sexta-feira, julho 02, 2010

Homens poetas

Eu tive um professor de Literatura no colégio que adorava pegar exemplos na classe para demonstrar seus pontos de vista. Numa dessas aulas ele ensinava como em diversas épocas os escritores e poetas se referiam à mulher. Apresentou-nos John Donne, um clérigo que viveu entre 1572 e 1631, que retrata em seu poema “Elegia: indo para a cama”, a associação frequente do Novo Mundo com a mulher desejada:

Deixa que minha mão errante adentre
Atrás, na frente, em cima em baixo, entre.
Minha América! Minha terra à vista,
Reino de paz, se um homem só a conquista,
Minha Mina preciosa, meu Império,
Feliz de quem penetre o teu mistério!
Liberto-me ficando teu escravo;
Onde cai minha mão, meu selo gravo.

Após ler esse trecho do poema, ele chamou um colega nosso, o Luiz, e disse:

- Ouviu, Luiz, como ele se referiu à moça? Como “MINHA AMÉRICA”! Como o Novo Continente, virgem, desnuda, objeto de desejo do conquistador! Aposto que se você se deparasse com essa mulher diria apenas: “Ah! Que tesão!”

Não sei que raio de associação que eu fiz, mas me lembrei dessa história e resolvi contá-la aqui. Bom, na verdade eu não decorei a poesia, só me lembrava dela vagamente e me deu um trabalhão para achar e colocá-la aqui (um viva a São Google!).

Aí, eu fico pensando, por que é que um clérigo teria escrito uma poesia assim para uma mulher? Será ele ascendente do Bispo Lugo, do Paraguai? Não vem ao caso, mas aposto que na vida real ele dever ter olhado para a moça e falado igual ao Luiz: “Ah! Que tesão!”

Pois é, queira meu professor ou não, nós homens não mudamos muito com o tempo, uma coisa é o que falamos entre nós, outra é o que é publicado. É ou não é, rapaziada?

Peguemos um exemplo mais recente: início da década de 60, dois caras tomam seu chope em frente a praia quando passa uma menina muito bonita.

- Ó, ó!
- Olha ela aí de novo! Que coisa mais linda!
- Gostosa paca! Que tesão, hein!
- Putz, olha só que bunda! Pra lá, pra cá…
- Num doce balanço a caminho do mar…
- Porra, Vininha, gostei dessa frase, aí…
- É mesmo… Pega o violão aí, Tomzinho, acho que isso dá uma musiquinha... garçon, traz mais dois!



2 Musicólatras Comentaram:

Denise disse...

Delicioso!
Um dia ouvindo uma entrevista do Chico,dizia ele das barbaridades que acontecem qdo derrepente,surge uma ideia e relatou como foi que ele escreveu algumas musicas lindissimas.

Deve ter sido bem assim mesmo rs

Olha que coisa! (...)

ADOREI aqui.

carinho

Daniel disse...

Sensacional o post. Creio que a forma como a musica "Garota de Ipanema" surgiu, foi exatamente assim, não tem como ver Tom e Vinicius em outro lugar compondo essa música..rs.