terça-feira, julho 13, 2010

Almir Sater

Hoje vou falar um pouco sobre esse grande violeiro brasileiro. Almir Sater esteve em Pindamonhangaba/SP está semana e se apresentou gratuitamente na Expovap, uma feira agropecuária da cidade. Há muitos anos atrás, nesta mesma feira, eu já tive a oportunidade de assistir um show do Almir Sater, e digo sem medo de errar, que o show é de uma qualidade incrível. Porém desta vez infelizmente não consegui ir. Segue abaixo um pequeno texto que postei no Blog Jazz e Rock.

Almir Sater um dos grandes nomes da nossa música brasileira! Violeiro, compositor, cantor entre outras coisas, se destaca por sua simplicidade e competência em seu trabalho. Músico de 53 anos tem um jeito todo especial de conduzir tudo que faz .

Quando garoto cresceu com a cara suja de manga e jogando bola nos campinhos campo-grandenses. Até crescer e cair nas graças dos admiradores da boa música, se transformando num dos maiores violeiros do Brasil . Nesse tempo todo de carreira os seus shows, no entanto, não mudaram e Almir não parece se incomodar com isso. Para ele, mais importante que uma música nova no repertório é agradar a pessoa que pagou para escutar suas canções de sucesso. Dono de um jeito manso de falar e um toque de Midas que transforma o caminho em que passa em paisagem mágica, Almir define o estilo de música produzida por ele e outros compositores de sua geração como Folk Brasileiro.

“A música caipira e os violeiros eram de uma geração. E cheguei de uma outra geração, com outro tipo de tendência, com um pouco de influência do rock'n roll, música folk, música andina e passei a tocar viola trazendo estas influencias. E mostrou-se as mil possibilidades da viola. O próprio Tião (Carreiro) ficou encantado e achou bonito o som e com coisas que ele nunca pensou em fazer. Sou um cara que chegou cabeludo em uma época que tinha uma diferença dentro da mesma gravadora. Tinha um selo que era só sertanejo e outro que era popular. Ninguém sabia onde me colocar. Um falava “é sertanejo” e o outro “é popular”. Perguntei qual era a diferença e qual que eles pagavam melhor. Pra sertanejo era 50% menos e eu disse "então sou popular". Na época, se tinha um royalty de 10% para o sertanejo era 5%. Era discriminado mesmo e só tocava na madrugada. Eles se vingaram, entupiram as rádios e agora tem que agüentar os caras.” diz Almir Sater.

“Eu não sou sertanejo. Eu sou roqueiro. Não escuto música sertaneja em casa. Escuto violeiro pontear a viola e não tem nada a ver com sertanejo. Violeiro é instrumentista, é bandeira brasileira... Escutar o Tião Carreiro pontear uma viola é rock’n roll. Sempre gostei deste som mais de pegada." (Almir sater)

Almir Sater Um Violeiro Toca (Show SESC Itaquera)


Almir Sater "Tocando em frente"



5 Musicólatras Comentaram:

Edison Junior disse...

Legal o som do Almir Sater.

E feliz Dia do Rock pr'oceis!

Paula disse...

Almir Satewr é muito bom, pena que como muitos músicos brasileiros, não receba o devido apreço.
Sempre bom lembrar dele, ouvir suas músicas, letras e sentidos que só ele consegue.
Boa pedida.

Rafhael Vaz disse...

Apesar de não ser muito o estilo de música que costumo ouvir, fiquei de cara com a qualidade e pelo talento do cara. Uma pena que não receba a devida atenção.

Belo post Daniel!

Abraços!!

Marcello disse...

Adoro Almir Sater, e como a minha irmã Paula disse ele realmente não recebe o reconhecimento devido.

Grande post !!!!!!

Abraços

Anônimo disse...

um dia o meu sonho vai ser realizado de conhecer frete a frenta o almir satewr