quarta-feira, abril 28, 2010

Uma breve abordagem sobre o Ska

 
A maioria das pessoas quando ouvem falar da Jamaica, pensam quase que imediatamente no reggae e subsequentemente à maconha, afinal, foi o estilo que mais se popularizou da ilha para o mundo - muito em função do Bob Marley. Na verdade, se vamos apresentar um outro estilo a alguém e dizemos que é um estilo jamaicano, a pessoa jura já saber o que vai ouvir. Por isso, vi necessidade de falar sobre o ska, estilo musical jamaicano que, apesar de ter dado origem ao reggae é bem diferente deste - eu por exemplo gosto muito de ska e não sou muito fã de reggae. Segue um breve resumo da interessante história do ska, que é ligada inclusive ao nascimento do chamado skinhead (que eram BEM diferentes dos que vemos hoje):

Antes de começar, friso que o ska é dividido em 3 ondas (waves). A 1º é o ska original, tradicional da Jamaica. A 2º quando o ritmo chegou na Inglaterra, sofrendo uma leve mudança e a 3º quando o ritmo passou a ser mundialmente conhecido, sendo misturado com tudo quanto é ritmo.

Era comum, no final dos anos 50, sintonizarem na Jamaica as rádios norte-americanas de longo alcance, cujo repertório incluía o Rhythm&Blues (R&B), Jazz e o Swing. Paralelo a isso, jovens que haviam tentado trabalhar nos EUA chegavam quase que sem um tostão no bolso, mas com uma boa quantidade de discos americanos na bagagem. As bandas locais, cada vez mais influenciadas, começaram a misturar as músicas tradicionais da ilha como o Calypso e o Mento, com os ritmos norte-americanos. Essa mistura foi evoluindo até chegar no chamado Ska. Não se sabe ao certo quem foi o inventor do estilo e acabaram por atribuir tal título à banda The Skatalites, a responsável por popularizá-lo na ilha. Duas coisas chamavam bastante a atenção no novo estilo: A forma enérgica que era dançado e os chamados Rude Boys (garotos/rapazes rudes) que adotaram o ska como estilo musical preferido. Estes não eram bem vistos na sociedade devido a ligação com o mundo marginal, confrontos com a policial e o consumo excessivo de maconha durante intermináveis sessões de ska. Chamava a atenção a maneira que se vestiam, inspirados em seus heróis dos filmes de gângsters. Esta vestimenta foi influência clara para os Skinheads (ligação que vou explicar mais pra frente) e é imitada por  várias bandas de ska até hoje.

Vídeo divertido da banda “Orquestra Brasileira de Música Jamaicana” ensinando a dançar ska:


Em 1962 a Jamaica consegue a independência da Grã-Bretanha, dando início à uma etapa de festa musical e, a partir do ska surge o rocksteady e logo depois o reggae (termo que começou a ser utilizado devida a canção “Do the Reggay” da banda de ska Toots  and The Maytals. Segundo explicação do próprio grupo, a expressão está referida a “regular”, “regular people”, gente normal, a malta, gente da rua).

Nesse período, os Jamaicanos começaram a emigrar para a Grã-Bretanha em busca de trabalho e, em suas bagagens levavam sua cultura e música. Não demorou para os rude boys se juntarem aos Mods – jovens ingleses da classe operária, amantes da música negra - nos bairros operários ingleses. Se misturavam nas ruas e freqüentavam pubs e clubes de música negra como soul e reggae. Como resultado desse encontro (fusão) de culturas surgiu o Skinhead: Elegância para vestir, scooters, cabelo raspado ou muito curto em analogia aos negros, suspensórios em analogia ao operário e muita música negra. Não vou me aprofundar nesse assunto por ser extenso, apenas destacar que este primeiro movimento skinhead, o skinhead tradicional (ou skinhead trojan, termo cunhado para esta primeira geração) se baseava nisso: brancos andando com (em sua maioria) emigrantes jamaicanos, freqüentando pubs e festas atrás de música negra, eram inclusive apolíticos, não tinham qualquer ideal político. Posteriormente houve toda uma fragmentação e desvirtuamento do sentido original, quem se interessar pode ler sobre isso aqui. Recomendo também o filme This is England, filmaço  que trata muito bem deste tema.

Nos anos 70 o movimento skinhead assim como a música jamaicana perderam bastante força na Inglaterra, deram lugar ao movimento punk. Em 1979, buscando o revivalismo do ska (ska revival) surge o Ska 2 Tone (dois tons), dando início à segunda fase do ska. O movimento foi idealizado pelo skinhead Jerry Dammers, fundador e tecladista da banda Automatics (que depois passou a se chamar The Specials). O símbolo deste movimento são as cores preta e branca, símbolo anti-racista demonstrando a união do negro e do branco. Os Rude Boys são revitalizados e expressados numa fusão do reggae com o punk, tornando o ska mais acelerado que o da fase anterior. Músicas e artistas da primeira onda são resgatados, divulgados e difundidos  pelas novas bandas.

O término da 2ª onda culmina com o fim do selo 2-tone em meados dos anos 80, quando se inicia a última  e terceira fase que se estende até hoje. O ska ganha proporções mundiais e é misturado com uma infinidade de ritmos, um verdadeiro mix. Essa mistura difundiu o ska no mundo inteiro, levando à formação de bandas third wave por tudo quanto é canto, principalmente na década de 90. Até hoje o maior sucesso de toda a história do ska foi "My Boy Lollipop" de Millie Small, adaptada ao estilo por Ernest Ranglin.

Abaixo selecionei 4 vídeos. São quatro bandas diferentes: 2 representando a 1ª fase (ou onda do inglês wave como costumam chamar) do ska, o Ska tradicional - Escolhi 2 para a 1ª onda para mostrar que, apesar do ska original ser instrumental, bandas que tocam e cantam como Toots and The Maytals também são consideradas dessa primeira onda, estas aliás, eram mais numerosas na época e faziam um uso bem menor de metais. Em seguida The Specials representando o ska 2 tone (2ª fase) e Reel Big Fish o ska third wave (3ª fase).

1° Onda

The Skatalites - Guns of Navarone


Toots and The Maytals - Pressure Drop



2° Onda (2 Tone)

The Specials - A Message To You Rudy


3° Onda

Reel Big Fish - Sell Out



7 Musicólatras Comentaram:

Emmanuella disse...

AMEIAMEIAMEI, meu sonho era fazer um post desse, mas você com certeza fez muito melhor HUAHAUHh

O ponto que fala sobre os skinheads é MUITO importante, ninguém acredita em mim quando eu digo a origem do movimento ;(

Ah, já te perguntaram alguma vez se "ska" tinha a ver com "skate"? Porque volta e meia me perguntam HUAHUAHUAHUAHAUH é tenso ;~

Muito obrigada pelo post, vou usar de fonte de pesquisa pro povo que perguntar \o/

Rafhael Vaz disse...

Hahahah
Realmente tem mta gente mesmo que acha que os skinheads sempre foram baderneiros, racistas e xenófobos afinal, eles ganharam as manchetes agindo de tal forma.

Qto ao skate nunca me perguntaram não auheauehueah. Primeira vez que leio esta versão, mas pra quem não conhece a história é até uma boa sacada uhauhaeuheah.

Daniel disse...

Muito bom esse artigo. Confesso que não conheço nada de SKA e quase me decepcionei logo no começo do texto ao ler que era da Jamaica, o que fica a inevitavel ligação entre o seboso do Bob Marley..hahaha.

Mais o que eu acho interessante é como um estilo vai tomando forma e novas tendências com o passar dos anos e digamos o envolvimento com outras culturas. Isso acho que é o grande barato da música, ela não se limita a um povo ou cultura. Excemplo disso é o jazz no decorrer os anos acabou se fundindo com várias culturas mundo a fora.

Em relação aos skinhead eu também achava isso que você disse no comentário, pois de uma forma ou de outra é o que aparece nas manchentes e só conseguimos entender realmente quando conhecemos a história né.

Eu ainda não vi os videos, mais vou ver e depois procurar algum álbum para ouvir.

Abraço e parabens.

Rafhael Vaz disse...

HAhahah
Daniel, recomendo que veja ao menos o primeiro vídeo do "Skatalites". Eles fazem um ska instrumental (meu estilo preferido de ska) e, tenho quase certeza que vai gostar.

Abraço!

Edison Junior disse...

Muito legal esse post! Também conhecia muito pouco do ska, para mim era a mesma coisa que o raggae. Me diverti pra caramba com o vídeo da dança!
Gostei mais dos vídeos da 1ª onda, especialmente o instrumental Guns of Navarone. O último é legal também, muito engraçado.
A propósito, o Calypso merece um post só para ele. Day'O!

Fernando Da Silva Oliveira disse...

post com informações legais pra quem quer ter uma vaga idéia do que é o ska....como muita gente conheci o estilo na terceira onda no fim dos 90 e me interessei pelo lance como um todo rs...vale dizer que além destas 3 ondas muito claras na história do estilo....vejo hj principalmente na gringa uma nova geração de bandas,me atreveria a chamar de "quarta onda" rs pois tem gente misturando coisas de post-hardcore,eletrônico e metal extremo com ska....algumas com resultados interessantes mas enfim parabenizo vcs ae pelo post\!

Rafhael Vaz disse...

Fernando,

Realmente com essas misturas improváveis, porém interessantes, muitos tem tratado o fato como o surgimento da 4º onda. Mas acho que, apesar da 3º onda ter ficado conhecida inicialmente com a mistura do ska com o punk rock e/ou pop, acho engloba isso tudo. Ska misturado com os outros estilos musicais. Mas sei lá, é como penso atualmente.

Valeu pelo elogio!!

Abraços!!