quinta-feira, março 25, 2010

Baixistas: Steve Harris



Durante minha adolescência enquanto buscava meus primeiros contatos com bandas de rock, uma delas me chamou muito a atenção. O Iron Maiden. Apesar de curtir outras bandas, nenhuma delas foi tão impactante na minha vida. Tudo era novidade, eu não costumava ouvir bandas de heavy metal na época e ao ouvir um som tecnicamente perfeito, com letras bem feitas e sentir uma energia que com palavras não é possível explicar, me identifiquei na hora e passei a ser não só um ouvinte, mais fã.

Nessa época passei a me interessar pelo contrabaixo e o grande responsável por isso foi o mestre Steve Harris. Apesar de ouvir a banda como um todo, o som do baixo me atraia, era algo que me motivava a querer aprender. Comprei um contrabaixo na época, tive algumas aulas, mais por falta de dedicação não fui adiante. Porém mesmo não sendo músico, esse instrumento ainda me atrai de uma maneira diferente dos outros. A cada dia que passa o baixo vem ganhando ainda mais espaço e destaque, devemos isso graças a baixistas inovadores, que cansaram da mesmice e assim passaram a contribuir ainda mais. Por isso vou iniciar essa série de artigos e citar alguns dos poucos baixistas que eu conheço e que de uma forma ou outra marcaram minha vida, seja por ouvi-los tocar ou até mesmo por que isso alimentava novamente esse sonho: De voltar a aprender e tocar contrabaixo.

Stephen Percy Harris, mais conhecido como Steve Harris, nasceu em 12 de Março de 1956 em Londres. Apaixonado por futebol, Harris teve a oportunidade de jogar pelo seu time do coração West Ham United, seus companheiros diziam que ele era um excelente jogador e que se não fosse baixista, certamente seria jogador profissional. Ele também trabalhou como desenhista arquitetônico. Steve Harris é baixista autodidata, comprou seu primeiro baixo aos 17 anos, na ocasião uma cópia de um Fender Precision. Sua primeira banda foi a “Influence” e que mais tarde se chamaria “Gypy’s Kiss”. O grupo não durou muito, apenas sete apresentações. Depois Harris se juntou a banda Smiler. Apesar de ter sido uma boa experiência, sua passagem foi bem curta. Os caras da banda se recusaram a tocar a primeira composição de Harris, “Burning Ambition” e como desculpa alegaram que o andamento da música alternava demais.

Com tantas frustrações, Harris decidiu montar a sua própria banda e não precisa dizer que ela ficou um pouquinho conhecida né? (risos). O Iron Maiden surgiu em 1975, o nome tem dois significados: Um é em relação ao instrumento de tortura (Donzela de Ferro) e o outro surgiu como uma forma de provocar a ex-primeira ministra inglesa Margaret Thatcher, conhecida como Dama de Ferro por causa do regime forte e repreendedor que marcou sua passagem na política daquele país.

As maiores influências do Steve Harris são os baixistas: Mike Rutherford (Genesis), Chris Squire (Yes), Geezer Butler (Black Sabbath), John Entwistle (The Who), Pete Way (UFO) – esse último também influenciou o estilo e a performace do Harris no palco.

Steve Harris tem uma importância significativa para o heavy metal e para o contrabaixo. Ele é mais um responsável pela divulgação desse instrumento maravilhoso e que por muito tempo ficou esquecido e sem aparecer. Harris conseguiu um feito inédito, na minha opinião, por que no heavy metal as atenções se dividem entre as guitarras e o vocal, no Iron isso não seria diferente, sempre contou com guitarristas excelentes e um vocalista de altíssimo nível, porém Harris fez com que o baixo tivesse sua ampla parcela nisso, em inúmeras músicas da banda é possível notar isso, e tem deixado grandes marcas como introduções, solos e levadas. Harris também é reconhecido pela sua maneira única de tocar, principalmente pela precisão e a velocidade impressionante (rasgueando com 3 dedos). Ele ainda contribui de outra forma, na composição das letras. Grande parte das músicas e dos clássicos é de sua autoria.

Confira abaixo dois vídeos do Iron Maiden, no primeiro “Aces High” (Steve Harris) e a segunda “Moonchild” (Adrian Smith/Bruce Dickinson). Prestem atenção em especial no baixo.

Iron Maiden - "Aces High"


Iron Maiden - "Moonchild"



3 Musicólatras Comentaram:

× мanυ × disse...

Eu confesso que nunca fui fã de Iron Maiden, apesar de ter tido minha época de fanatismo pelo Heavy Metal (que ainda ouça, em menores proporções), mas algo que sempre me chamou a atenção na banda foi justamente o baixo: eles tem 3 guitarristas e ainda assim o baixo se destaca!

E alguém que tem por influência John "Thunderfingers" Entwistle não pode ser um baixista medíocre :)

Rafhael Vaz disse...

Po, cara manda bem em tudo que faz: futebol, composições, baixo, desenho arquitetônico.....
Confesso que Iron Maiden não é meu forte, mas já tive épocas que cheguei a ouvir um tanto.

Ótimo post!!

Abraços!!

Rodrigo Junior Santos disse...

Comordo com você, Steve também me inspirou a tocar contra baixo :)